O pseudocereal que vem dos Andes

Você já ouviu falar do amaranto? O 'Paladar' testou o produto na cozinha

25 Junho 2009 | 13h01

Não fosse a criatividade na hora de prepará-lo, o amaranto, que começa a marcar presença nas prateleiras dos supermercados, entraria para a categoria dos alimentos funcionais e de sabor insosso. O chef boliviano Checho Gonzáles, do Ají, passou alguns dias testando o ingrediente que é rico em fibras e proteínas e teve boa surpresa. "Em flocos pode ser usado em quibes, para empanar carnes ou dar textura às sopas e caldos", explica. "Já os grãos, depois de hidratados, estouram como a quinoa e substituem bem o cuscuz marroquino." Em suas mãos, o pseudocereal originário dos Andes virou uma farofa bem temperada, com tomate e milho, servida com supremo de frango. "Na receita original uso quinoa. Mas gostei do resultado com o amaranto", diz o chef. Ele também experimentou empanar cherne com amaranto antes de fritar. Resultado: crosta sequinha e a neutralidade do amaranto não interferiu no sabor suave do cherne, que foi servido com molho aioli. Veja também: Receita de supremo de frango e farofa de amaranto Bochechas crocantes de cherne

Mais conteúdo sobre:
Paladar amaranto

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.