Obama defende ação conjunta para enfrentar crise do Ebola

Obama defende ação conjunta para enfrentar crise do Ebola

Só nesta segunda, presidente dos EUA se reuniu com o secretário-geral da ONU, com o presidente francês, François Hollande, e com funcionários de seu governo, para debater combate ao Ebola

REUTERS

13 de outubro de 2014 | 18h43

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conversou nesta segunda-feira com o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-Moon, e concordou que a comunidade internacional precisa intensificar as suas ações para "decisivamente enfrentar a crise do Ebola", disse a Casa Branca.

Obama também conversou com o presidente francês, François Hollande, e disse que mais medidas precisam ser tomadas para construir instalações de tratamento nas nações africanas atingidas pela epidemia.

Em outra reunião, ao se encontrar com funcionários do governo, Obama recebeu informações sobre a investigação de "uma aparente brecha nos protocolos de controle de infecções" em um hospital em Dallas, no Texas.

"O presidente reforçou a necessidade que essa investigação prossiga o mais rapidamente possível e que as lições aprendidas sejam integradas aos planos de resposta futuros, sendo disseminadas para hospitais e funcionários do setor de saúde de todas as partes do mundo", disse a Casa Branca.

(Reportagem de Jeff Mason e Steve Holland)

Mais conteúdo sobre:
SAUDEOBAMAHOLLANDE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.