Obama diz que políticas de Bush fortaleceram Irã e Hamas

Pré-candidato democrata critica Bush e McCain após declarações do presidente americano em Israel

REUTERS

16 de maio de 2008 | 15h54

Depois das polêmicas declarações do presidente norte-americano George W. Bush, que comparou as negociações com grupos "terroristas" com dialogar com os nazistas, em uma visita a Israel na última quinta-feira - o que foi interpretado como um ataque aos democratas - o pré-candidato democrata à Casa Branca Barack Obama contra atacou Bush nesta sexta-feira, 16. O senador, favorito para ficar com a vaga do Partido Democrata nas eleições nacionais, afirmou que as "políticas fracassadas" de Bush fortaleceram inimigos americanos como o Irã e o Hamas.   Edwards descarta ser vice-presidente na chapa de Obama Confira a disputa em cada Estado Conheça a trajetória dos candidatos Cobertura completa das eleições nos EUA    Obama acusou o dirigente de lançar "o tipo exato de ataque pavoroso responsável por dividir o país e nos afastar da comunidade internacional". O senador por Illinois também convidou Bush e o candidato presidencial do Partido Republicano, John McCain, para um debate sobre questões de política internacional. A manifestação surgiu um dia depois de o líder americano ter provocado indignação entre os democratas ao falar, no Parlamento israelense, sobre a questão de negociar ou não com o Irã.   McCain, que conquistou a vaga de seu partido nas eleições de novembro, não repetiu na quinta-feira a expressão "fazer concessões". Mas criticou a promessa de Obama de conversar diretamente com inimigos dos EUA, em especial com o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad. Segundo McCain, Obama precisa explicar por que desejaria conversar com o dirigente do Irã. "Se George Bush e John McCain desejam realizar um debate sobre como proteger os Estados Unidos da América, esse é um debate do qual eu estaria disposto a participar em qualquer momento, em qualquer lugar. E esse é um debate que eu vencerei porque George Bush e John McCain têm muito pelo que responder", afirmou Obama, em um discurso de campanha proferido em Dakota do Sul. "Eles precisam responder pelo fato de o Irã ser o maior beneficiário estratégico de nossa invasão do Iraque. Isso, as políticas de George Bush, tornou o Irã mais forte", disse.   "Eles terão de explicar por que o Hamas hoje controla a Faixa de Gaza, o Hamas que se fortaleceu porque os EUA insistiram na realização de eleições democráticas na Autoridade Palestina."   "Esse é o passado de Bush e de McCain quando se trata de proteger este país", acrescentou. "Essas são políticas fracassadas nas quais John McCain pretende insistir."

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICAOOBAMABUSH

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.