Obama e Hillary se abraçam e prometem unir forças para eleição

Os democratas BarackObama e Hillary Clinton uniram forças na sexta-feira, em umevento de campanha organizado nos mínimos detalhes e durante oqual prometeram deixar para trás as desavenças surgidas durantea acirrada batalha das prévias democratas e cooperarem paracolocar o senador na Casa Branca. Os ex-rivais se abraçaram, rasgaram seda um para o outro eprometeram unir o Partido Democrata para as eleições denovembro contra o candidato republicano, John McCain. "Hoje, estamos nos unindo em nome do mesmo objetivo--eleger Barack Obama como próximo presidente dos EUA", afirmouHillary para uma multidão de cerca de 3.000 pessoas. "Nós disputamos palmo a palmo as acirradas prévias, mashoje e em todos os dias daqui para frente ficaremos lado a ladoem nome dos ideais que compartilhamos e dos valores quedefendemos", disse a senadora e ex-primeira-dama. O evento conjunto, realizado uma área localizada ao lado deuma escola do ensino básico na cidade de Unity (unidade eminglês), no Estado de New Hampshire, é o primeiro em que elesaparecem lado a lado em público desde que Obama conquistou, nocomeço deste mês, a vaga da legenda no pleito presidencial. O senador pelo Estado de Illinois vem agindo cautelosamenteao cortejar Hillary e seus milhões de simpatizantes, muitos dosquais ainda se ressentem do resultado da batalhaintrapartidária que se estendeu por 16 meses. "Nós fizemos história juntos", disse Obama, que pode setransformar no primeiro presidente negro dos EUA. Hillarytentava ser a primeira mulher a ocupar o posto mais alto dogoverno norte-americano. O agora candidato afirmou que aex-adversária serviu como inspiração para milhões de mulheres,entre as quais as duas filhas dele próprio. "Nós derrubamos barreiras que continuavam firmemente de pédesde a fundação desta nação", afirmou. O democrata observou que a cidade de Unity havia dividoseus votos meio a meio durante as prévias de 8 de janeiro, emNew Hampshire --107 votos para Obama e 107 votos para Hillary. "Agora, nós olhamos para isso como 214 votos em nome demudanças nos EUA", disse Obama. DE UM PONTO DE VISTA PRIVILEGIADO No começo desta semana, o senador afirmou a repórteres queesperava ver no evento de Unity um sinal de que senadoraparticiparia de forma ativa da campanha para levá-lo à CasaBranca. Hillary, que ingressou nas prévias em janeiro de 2007 comofranca favorita, enfrentou Obama até a última votação doPartido Democrata, no dia 3 de junho, em meio a uma disputa quedeixou ressentidos alguns dos simpatizantes dela --em especialparte das mulheres que formavam o núcleo dos eleitores da entãopré-candidata. Continua impossível determinar se Obama conseguirá ou nãoatrair esse eleitorado, mas muitas pesquisas de opiniãomostram-no solidificando o apoio entre os democratas nasúltimas semanas e assumindo uma clara vantagem nacional emrelação a McCain. Hillary, que voltou para sua cadeira no Senado, emWashington, nesta semana pela primeira vez desde que saiu dasprévias democratas, no dia 7 de junho, teceu vários elogios aObama. "Eu vi a candidatura dele de um lugar privilegiado",afirmou. "Eu vi a força e a determinação dele, o encanto e acoragem dele." Em um encontro reservado ocorrido em Washington, naquinta-feira à noite, Hillary apresentou Obama aos maioresfornecedores de verbas da campanha dela. Obama já havia pedidoa seus maiores doadores que ajudassem a senadora a pagar umadívida de 10 milhões de dólares que a então pré-candidatacontraiu ao custear sua campanha.

JOHN WHITESIDES, REUTERS

27 de junho de 2008 | 17h50

Tudo o que sabemos sobre:
EUAELEICAOOBAMAHILLARY

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.