Obra do Metrô descaracteriza Praça da República em SP

Pouco mais de um ano após terem recebido a Praça da República reformada, ao custo de R$ 3,1 milhões, os paulistanos já perderam grande parte dela para a Linha 4 do Metrô, ainda que temporariamente. O canteiro de obras instalado em 2004 em uma das laterais da praça, próximo da Rua 7 de Abril, quando a expansão começou, avançou mais na direção do centro do largo. A previsão de conclusão é para 2010.O cercado de tapume e arame farpado montado pelo Consórcio Via Amarela não poupou nem o coreto da praça, tombado pelo Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico (Conpresp) ou a estátua do médico e educador Caetano de Campos, que tinha recebido tratamento especial durante o processo de recuperação e nova placa. Na terça-feira, no horário de almoço, o coreto, que ganhou novos revestimentos e iluminação, servia de área de descanso e dormitório aos operários da obra. ?O Metrô acabou com o gramado e passou por cima dos canteiros. Por que a Prefeitura não deixou para fazer a reforma depois??, questiona Maurício Ramos Saad, de 47 anos, dono da banca de jornal instalada em uma das laterais da República. ?E eles dizem que eu é que atrapalho a revitalização da praça e há um ano querem me expulsar daqui.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.