Obras do PAC começam com morte e tiroteio na Rocinha

As obras do Programa deAceleração do Crescimento (PAC) na favela da Rocinha, em SãoConrado, zona sul do Rio de Janeiro, começaram com tiroteio emorte nesta segunda-feira, após confronto entre policiais etraficantes. Ao menos um policial militar morreu, e uma granada lançadacontra os policiais provocou o incêndio em casa. Logo pela manhã, os soldados iniciaram a operação naRocinha para apreensão de armas, drogas e prisão detraficantes. Os policiais foram recebidos a tiros. "Nossa operação já estava programada para hoje (segunda)antes mesmo do PAC", disse uma assessora da Polícia Militar. Na sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silvaesteve na favela e deu início, simbolicamente, às obras doprograma. Lula pediu tolerância à PM e afirmou que os policiais nãopodem entrar batendo nos moradores da favela.A Rocinha, uma das maiores favelas da América Latina, com cercade 120 mil habitantes, receberá 161 milhões de reais do PAC emobras de infra-estrutura, saúde, saneamento e habitação. (Por Rodrigo Viga Gaier)

REUTERS

10 de março de 2008 | 12h50

Tudo o que sabemos sobre:
VIOLENCIAROCINHAPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.