OCDE diz que os ricos saíram da recessão

PIB combinado dos 30 países-membros cresceu 0,8% no 3º trimestre

Dow Jones, LONDRES, O Estadao de S.Paulo

24 de novembro de 2009 | 00h00

As economias desenvolvidas saíram da recessão no terceiro trimestre, uma vez que o Produto Interno Bruto combinado cresceu pela primeira vez desde o primeiro trimestre de 2008. Dados da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostraram que o PIB combinado dos 30 países-membros nos três meses até setembro cresceu 0,8% frente ao segundo trimestre, embora tenha encolhido 3,3% em comparação anual.

A OCDE disse que o PIB combinado do G-7 teve expansão de 0,7% no terceiro trimestre ante o segundo trimestre, mas também se contraiu 3,3% na comparação com o terceiro trimestre de 2008.

Os membros da OCDE representam 61,3% do PIB mundial. Com grandes economias em desenvolvimento como a China também crescendo no terceiro trimestre, os dados do período indicam que a economia mundial saiu da sua recessão mais profunda desde a Segunda Guerra Mundial.

Em seu mais recente relatório sobre perspectivas econômicas, na quinta-feira passada, a OCDE disse que esperava que as economias dos países-membros crescessem 1,9% em 2010, uma forte revisão para cima da previsão feita em junho, de expansão de 0,7%. Em 2011, a OCDE espera crescimento de 2,5%.

A OCDE disse que entre as economias do G-7, os países industrializados apresentam grandes diferenças: enquanto o Japão cresceu 1,2% no terceiro trimestre, a Inglaterra sofreu uma contração de 0,4% do PIB.

Para Grã-Bretanha, é o sexto trimestre consecutivo de declínio da economia.

Outra grande economia ainda não se recuperou é a da Espanha, onde o PIB diminuiu 0,3% no terceiro trimestre.

Enquanto isso, a economia do México, único país latino-americano que integra a OCDE, teve uma expansão de 2,93% durante o terceiro trimestre de 2009, retornando a valores positivos após dois trimestres consecutivos de declínio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.