Ocidente deve avaliar envio de armamento para Ucrânia, diz general da Otan

O Ocidente deve considerar o uso de todas as suas ferramentos para ajudar a Ucrânia, incluindo o envio de armamento de defesa, disse o principal comandante da organização militar Otan neste domingo.

REUTERS

22 de março de 2015 | 09h47

"Eu não acho que qualquer ferramenta dos Estados Unidos ou qualquer outra nação deveria necessariamente ser descartada", disse e o general da Força Aérea norte-americana Philip Breedlove em uma conferência em Bruxelas, ao ser questionado se era a favor de enviar armamentos de defesa para a Ucrânia.

Sem mencionar a Rússia, Breedlove disse que táticas diplomáticas, de informação, militares e econômicas estavam sendo usadas contra a Ucrânia.

"E portanto nós, eu acredito, no Ocidente, deveríamos considerar todas as nossas ferramentas para responder. Pode provocar desestabilização? A resposta é sim. Mas a falta de ação também pode ser desestabilizadora", disse Breedlove, que é o Supremo Comandante Aliado da Otan na Europa e comandante do Comando Europeu dos EUA.

Breedlove afirmou ainda que a inteligência da Otan indicou desenvolvimentos militares "perturbadores" no solo do leste da Ucrânia e expressou preocupação de que o acordo de cessar-fogo para a Ucrânia alcançado em Minsk no mês passado possa não estar sendo cumprido.

(Por Adrian Croft)

Tudo o que sabemos sobre:
UCRANIAOTANARMAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.