Ocupação de Parque do Cocó termina com violência

Terminou de forma violenta a ocupação de 80 dias no Parque Ecológico do Cocó. Um manifestante foi preso e levado para Polícia Federal, um policial foi ferido na cabeça e um jornalista foi ferido com balas de borracha. Os cerca de 50 manifestantes ligados ao Psol e ao movimento Crítica Radical foram tirados à força pelo batalhão de choque na Polícia Militar do Ceará, na tarde desta sexta-feira, 04.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

04 Outubro 2013 | 20h56

A PM cumpria ordem da Justiça Federal, que mandou desocupar a área para construção, pela Prefeitura, de dois viadutos no cruzamento mais movimentado de Fortaleza, o das avenidas Engenheiro Santana Júnior e Antônio Sales. Os viadutos entrarão numa área de 15 metros do Cocó. Papara a obra seja realizada já foram derrubadas 96 árvores. O juiz da 6ª Vara Federal, Kepler Ribeiro ainda tentou negociar uma desocupação pacífica, apelando para o Hino de São Francisco, mas não foi atendido.

A área virou um campo de guerra. Os policiais militares foram recebidos com pedras e fogos de artifício e revidaram com bombas de gás e balas de borracha. Todas as barracas dos ocupantes foram destruídas e seus pertences, recolhidos em um caminhão. Um manifestante subiu em uma árvore, mas ao descer foi detido. A área já está desocupada. As grades que protegiam o Parque foram substituídas por tapumes da obra. Todas as faixas, cartazes e a exposição de fotos dos manifestantes foram destruídos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.