Ocupação do Alemão é 'passo decisivo', diz Cabral

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), não esclareceu se o conjunto de favelas do Complexo do Alemão, na zona norte da capital fluminense, será ocupado nos moldes do projeto de policiamento permanente implantado pelas Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), mas admitiu que a saída dos traficantes de drogas "um passo decisivo" na política do Estado. "É um trabalho longo. Essa reconquista territorial é um passo decisivo para a nossa política de segurança pública", disse, em entrevista por telefone concedida ao RJTV, da TV Globo.

BRUNO BOGHOSSIAN E MÁRCIA VIEIRA, Agência Estado

28 de novembro de 2010 | 14h46

Cabral indicou que as Forças Armadas devem continuar a apoiar as operações de retomada de territórios dominados pelo tráfico de drogas no Estado. Segundo ele, a polícia fluminense também deve ter a participação de homens da Polícia Federal (PF) em novas ações contra o crime nas favelas do Rio.

"Nós vamos continuar trabalhando articulados com as Forças Armadas e vamos continuar trabalhando articulados com a Polícia Federal, sob o comando do secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, para que possamos levar mais paz e mais territórios conquistados", afirmou.

Foi a primeira declaração pública de Cabral desde que as forças de segurança federais e estaduais iniciaram a ocupação do Complexo do Alemão. O governador reeleito também voltou a agradecer ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e aos ministros da Defesa, Nelson Jobim, e da Justiça, Luiz Paulo Barreto, pela cessão de militares, policiais e equipamentos para o combate aos traficantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.