Ocupação pára serviços essenciais da UnB, diz reitoria

A reitoria da Universidade de Brasília (Unb) informou, em nota divulgada hoje, que a invasão do prédio por estudantes desde o dia 3 "compromete o funcionamento da universidade, pela interrupção dos serviços administrativos essenciais lá instalados". Os estudantes da UnB seguem ocupando a reitoria, apesar de a Justiça ter determinado a reintegração de posse na sexta-feira. Ontem, houve enfrentamento com seguranças e ampliação da ocupação.Os manifestantes reivindicam a saída do reitor Timothy Mulholland, acusado de usar verbas destinadas à pesquisa na compra de móveis e equipamento de luxo para seu apartamento funcional. A Polícia Federal (PF) tenta negociar com os estudantes uma saída pacífica do local.A UnB destaca seu esforço para evitar que os serviços sejam interrompidos, o que "com a exacerbação da invasão, ameaça o andamento atual e futuro da universidade". E faz um apelo aos manifestantes: "Para evitar que a universidade fique prejudicada, conclamamos os alunos para deixarem o prédio da reitoria a fim de se evitar comprometimento futuro do desenvolvimento da instituição".A direção da UnB diz que estão paralisadas a elaboração de folhas de pagamento de professores, funcionários técnicos administrativos, estagiários, prestadores de serviços; execução dos concursos para professores e servidores para o Campus Darcy Ribeiro e para a expansão em Ceilândia e Gama.

MILTON F. DA ROCHA FILHO, Agencia Estado

08 de abril de 2008 | 11h32

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.