Oficial de Justiça é denunciado por pedofilia em São Paulo

Acusado tem 54 anos e usava programa de compartilhamento de arquivos para distribuir material na internet

Solange Spigliatti, estadao.com.br

13 de março de 2009 | 11h31

Um oficial de Justiça acusado de distribuir material com pornografia foi denunciado pelo Ministério Público Federal de São Paulo. O oficial, de 54 anos, é acusado pelo crime de distribuição de pornografia infantil na internet. Este é o segundo caso relacionado à Operação Carrossel II, da Polícia Federal, em São Paulo. Se condenado, ele pode cumprir de 3 a 6 anos de prisão.

 

Veja também:

linkPais devem orientar filhos sobre corpo desde cedo

lista Como denunciar a pedofilia e proteger seus filhos na web 

documento A cartilha do governo para prevenção da exploração 

lista Todas as notícias sobre pedofilia  

 

O acusado teria usado o software de compartilhamento de arquivos eMule, entre 2007 e 2008, para distribuir 19 vídeos com cenas pornográficas e de sexo explícito envolvendo crianças e adolescentes.

Peritos da PF desenvolveram o software Espiamule, que localiza dentro do eMule imagens conhecidas de pornografia infantil já distribuídas na internet. Segundo a denúncia, o acusado admitiu aos policiais federais responsáveis pela busca que era a única pessoa que morava no local e a única a utilizar o computador que usava o protocolo IP identificado pela quebra de sigilo de dados telemáticos.

Tudo o que sabemos sobre:
pedofiliaMPOperação Carrossel II

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.