Oito grandes, só um será o maior

Hoje, em Londres, atletas iniciam as Finais da ATP

Giuliander Carpes, O Estadao de S.Paulo

22 de novembro de 2009 | 00h00

O mundo do tênis vai estar voltado para Londres a partir de hoje, quando os maiores tenistas do mundo começam a disputa da acirrada Masters Cup (atualmente chamada de Finais da ATP). O torneio só dá menos pontos que um dos Grand Slam, tanto dinheiro quanto as quatro maiores competições do circuito e grande prestígio.

A moderna arena O2, palco de disputas dos Jogos Olímpicos de 2012, estará com praticamente todos os seus lugares tomados (250 mil ingressos já foram vendidos para os oito dias de confrontos) quando o queridinho local Andy Murray, número 4 do mundo, enfrentar o argentino Juan Martin Del Potro (5º), às 12h15, pelo Grupo A, na abertura do torneio.

Embora seja o tenista com mais títulos na temporada (seis), o britânico não é o favorito. Murray esperava conquistar seu primeiro título de Grand Slam neste ano, mas fracassou. Já Del Potro surpreendeu o mundo com seus "coices" de forehand e levou o seu no US Open, passando por ninguém menos que Roger Federer. "Ainda terei minhas chances", defendeu-se o britânico, que espera conquistar o troféu para levar mais confiança para 2010.

Federer entra em quadra na sequência para enfrentar Fernando Verdasco (8º do mundo). O suíço já venceu o espanhol três vezes e precisa terminar esta fase invicto para assegurar o posto de número 1 - terminou as temporadas de 2004 a 2007 no topo. "No último torneio do ano, podemos ser mandados para casa com três dolorosas derrotas", lembrou Federer. "Mas também podemos voltar com a melhor sensação do mundo, depois de bater todos nossos maiores rivais."

Novak Djokovic (3º) começa amanhã a defender seu título do ano passado diante do russo Nikolay Davydenko (7º), o mesmo adversário da final de 2008. Com dois títulos no final da temporada (o Masters de Paris e o Torneio da Basileia), na primeira fase o sérvio é o principal obstáculo para Rafael Nadal chegar ao topo do ranking.

O espanhol - que estreia amanhã contra Robin Soderling - perdeu para todos os seus companheiros de chave na temporada. Na França, foi arrasado pelo sérvio. "Se eu jogar meu melhor tênis e o Djokovic jogar como em Paris, vai ser praticamente impossível vencê-lo", admitiu Nadal.

As oito melhores duplas também disputarão o torneio de Londres. Os irmãos Bryan tentam manter a ponta do ranking. Estreiam amanhã contra Max Mirnyi e Andy Ram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.