OMC espera superar questão agrícola central na próxima semana

Os principais países da OrganizaçãoMundial do Comércio (OMC) esperam resolver uma questão técnicafundamental do setor agrícola na próxima semana, questão essaresponsável por atravancar os avanços rumo a um novo pactoglobal de comércio, afirmaram autoridades e diplomatas nasexta-feira. Grandes importadores de alimentos, como a União Européia(UE) e o Japão, e grandes exportadores, como a Austrália e oBrasil, devem se reunir na segunda-feira para descobrir seconseguiram chegar a um acordo sobre um esquema capaz depermitir que os países protejam do corte de tarifas produtosconsiderados politicamente sensíveis. A questão vem prejudicando o avanço da rodada denegociações de Doha há meses. Mas, depois de os importadores eexportadores terem passado semanas avaliando uma série de dadosnuméricos, há sinais de que estariam prontos para superar oimpasse, disseram diplomatas. "Os rumores dão conta de que eles estão fazendoprogressos", afirmou à Reuters o embaixador da Nova Zelândiajunto à OMC, Crawford Falconer, que preside as negociações dosetor agrícola na Rodada de Doha. Falconer convocou uma reunião para segunda-feira. Se osmaiores importadores e exportadores conseguirem convenceroutros grandes países de que possuem um sistema viável para osprodutos sensíveis, as negociações sobre o setor agrícolapoderão passar para as outras áreas polêmicas na próximasemana. No entanto, como muitas delegações africanas estarãoocupadas, participando de um encontro de ministros das Finançase do Comércio da União Africana (UA), será difícil discutir asquestões que interessam diretamente a esse continente, como oalgodão, os produtos tropicais e outras. "Precisamos de algum incentivo. Se conseguirmos isso napróxima semana, então obteríamos um sinal positivo", disseFalconer.

JONATHAN LYNN, REUTERS

28 de março de 2008 | 17h18

Tudo o que sabemos sobre:
OMCDOHAUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.