OMS subestima epidemia mundial de diabete, diz estudo

A pesquisa, conduzida pela equipe da médica Lorraine Lipscombe, descobriu que, entre 1995 e 2005, o surgimento de novos casos de diabete na cidade canadense de Ontário subiu 69%, comparada à previsão global da OMS de 60% até 2030, atingindo 6,4% da população.A maioria dos casos examinados pela equipe de Lipscombe envolvia casos de diabete do tipo 2, ou seja, a variante não-dependente de insulina, e que freqüentemente está associada à obesidade."Diante deste crescimento linear nos casos, mais de 10% da população adulta de Ontário vai ter um diagnóstico de diabete até 2010", escreveu a equipe canadense, na revista médica especializada The Lancet.Imigrantes asiáticos Os médicos calculam que, se tendências semelhantes estiverem sendo registradas em outros países desenvolvidos, a proporção da epidemia de diabete vai ser muito maior do que o previsto até hoje.Um dos motivos para o crescimento radical da doença em Ontário poderia ser a chegada de muitos imigrantes do sul da Ásia, que seriam mais predispostos à doença.Mesmo assim, de acordo com os pesquisadores, o estudo pode ter apontado uma tendência de conseqüências potencialmente dramáticas.A diabete pode levar a vários outros problemas de saúde graves, como cegueira e doenças cardíacas. A OMS estima que o número de pacientes de diabete no mundo saltou de 30 milhões para 181 milhões, entre 1985 e 2000. Em todo o mundo, 4,6% dos adultos com mais de 20 anos sofrem da doença.

Agencia Estado,

02 de março de 2007 | 18h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.