Onda de calor continua a matar no hemisfério norte

As autoridades nos Estados Unidos investigam pelo menos 29 mortes que podem ser atribuídas à onda de calor que se abateu sobre o país em 16 de julho e que não dá sinais de partir: o Serviço Meteorológico Nacional emitiu outro alerta de excesso de calr para esta terça-feira. Na França, as temperaturas elevadas já deixaram "cerca de quarenta" mortos, de acordo com o Instituto de Vigilância Sanitária.Mais da metade da França está em estado de alerta "laranja" decalor, e os serviços meteorológicos prevêem que as elevadastemperaturas continuem até a próxima quinta-feira. O balanço anterior de vítimas, divulgado nesta segunda-feira, erade aproximadamente trinta mortos.No Estado americano da Califórnia, o consumo de eletricidade - impulsionado pelo uso de sistemas de ar-condicionado e refrigeração - chega ao volume recorde de 50.270 megawatts. A colaboração de empresas e repartições públicas tem evitado blecautes até agora, mas a situação se aproxima do insustentável.Os serviços de fornecimento de energia nas cidades de St. Louis e Nova York ainda trabalham para restaurar a eletricidade de milhares de clientes. Em Nova York, o blecaute parcial já dura nove dias e a empresa responsável, Consolidated Edison, diz que não faz idéia de quando a potência voltará.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.