Onda de calor mata na Europa e nos EUA

Pelo menos 27 mortes estão sendo atribuídas à forte onda de calor que atinge o hemisfério norte - 15 na Europa, 12 nos Estados Unidos. As mortes em território europeu ocorreram na França, Holanda, Espanha e Alemanha.Sem registrar mortes até o momento, a Grã-Bretanha enfrentou um dos dias mais quentes da história nesta quarta-feira - tão quente que até a pavimentação derreteu nas estradas. Apesar de outros pontos da Europe terem enfrentado temperaturas similares, esse é um país mal preparado para esses dias com temperaturas beirando os 37°C e além. Em toda a Europa, autoridades de saúde e outros líderes alertaram as pessoas para se manterem longe do sol e beber muita água. O presidente francês Jacques Chirac fez um apelo às pessoas para que sejam cautelosas. Pelo menos nove mortes foram atribuídas ao calor na França.Na Espanha, duas pessoas morreram durante uma onda de calor que fez as temperaturas subirem acima de 40°C.Às 16h, quando as temperaturas normalmente atingem seu pico, Berlim marcava 35°C, Bruxelas 34,4°C e Utrecht, na Holanda, 35,3°C.Na Holanda, a "Marcha Nacional de Quatro Dias" em Nijmegen foi cancelada depois que dois participantes morreram no calor extremo. Cerca de 300 pessoas que faziam parte da popular caminhada passaram mal na terça-feira, em temperaturas próximas a 35°C, e 30 foram hospitalizadas.No Reino Unido, muitas pessoas simplesmente procuraram abrigo dentro de casa enquanto a temperatura subia. No meio da tarde, a temperatura em Charlwood, perto do Aeroporto Gatwick de Londres, atingiu os 36,3°C - a temperatura mais quente já registrada na Grã-Bretanha em julho.A temperatura média no sudeste da Inglaterra em julho é de 21,2°C - e esse índice tem sido a temperatura noturna nos últimos dias.As autoridades municipais tomaram precauções extras para proteger as pessoas do calor - mas não havia muito o que podiam fazer além de dizer às pessoas que carregassem consigo uma garrafa de água.Na histórica Corte Real de Justiça, os juízes puderam remover suas tradicionais perucas para os procedimentos da corte. Os turnos de duas horas dos famosos guardas reais que ficam do lado de fora do Palácio de Buckingham foram reduzidos para uma hora no começo da semana, em preparação para o calor, disse o porta-voz do quartel de Londres, coronel David Sievwright.Trabalhadores de construção civil em Cumbria, no noroeste da Inglaterra despejaram cascalho nas estradas em reação às altas temperaturas, pois a pavimentação estava grudando nos veículos. Funcionários do zoológico de Colchester deram aos leões blocos de gelo temperados com sangue. Macacos receberam blocos contendo frutas.Estados UnidosNão é só a Europa que sofre com as altas temperaturas. Nos EUA, pelo menos 12 mortes foram atribuídas ao calor. Nesta quarta-feira, a temperatura cedeu um pouco no nordeste do país, mas foi substituída por violentas tempestades. Já na região das Grandes Planícies e em muito do Meio-Oeste, o tempo quente e úmido permanece. Espera-se que a temperatura supere os 37º C no Arkansas, Nebraska e outras áreas durante todos os dias desta semana.Por todo o nordeste americano, o consumo de eletricidade atine picos, com a ativação em massa de aparelhos de ar-condicionado. As autoridades pedem que o público economize. Na terça-feira, uma frente fria chegou à região, seguida por fortes tempestades elétricas. Centenas de milhares ficaram sem eletricidade.Ampliada às 16h51

Agencia Estado,

19 de julho de 2006 | 16h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.