ONG lança campanha contra briga de cavalos nas Filipinas

Animais lutam numa arena em disputa por fêmea no cio diante de grandes platéias.

Da BBC Brasil, BBC

21 Fevereiro 2008 | 20h00

Uma organização internacional que defende os direitos dos animais está fazendo uma campanha para pôr fim às brigas de cavalo nas Filipinas, uma tradição cultural das comunidades nativas do sul do país. A Network for Animals critica o "esporte sangrento", em que os cavalos seriam colocados numa arena e em seguida incitados a brigar diante de multidões, em plena luz do dia."A briga de cavalos é um esporte sangrento em que dois garanhões são incitados a brigar por uma égua no cio. Os eventos ocorrem em estádios ou em áreas cercadas diante da platéia", descreve o documento divulgado pela organização.O grupo defende uma série de mudanças em uma legislação filipina de 1998, que proíbe a prática e prevê multas de até US$ 95 (R$162) para quem promover os eventos.Na avaliação da ONG, as lutas movimentam tanto dinheiro que o lucro torna as multas irrisórias para os organizadores. As apostas, por exemplo, seriam de até R$ 8 mil. "Com as multas variando entre US$ 19 (R$ 32) e US$ 95, os organizadores não dão muita importância à lei", diz a organização.Fêmea no cio"Numa luta típica, dois garanhões são apresentados a uma fêmea no cio, que fica na arena durante a luta. Normalmente, eles começam a brigar logo em seguida para obter o privilégio de cruzar com a égua", afirma o documento.Ainda segundo os ativistas, os cavalos "se mordem, dão coices e cabeçadas para derrotar o adversário". Perde o animal que se render, fugir ou morrer, afirma a Network for Animals."Durante a luta, a fêmea assiste à briga e pode passar horas debaixo do sol sem direito a água."Ainda de acordo com a ONG, muitos animais terminam a luta com membros quebrados, olhos e orelhas arrancadas e alguns morrem dias depois em decorrência dos ferimentos.Para se preparar para a luta, diz o grupo, os animais passam por "treinamento brutal envolvendo carregamento de peso ladeira acima para melhorar a força".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.