ONG pede mais esforços contra tuberculose resistente

A organização Médicos Sem Fronteiras(MSF) alertou para a insuficiência dos esforços atuais contra acepa XDR-TB da tuberculose, extremamente resistente a medicamentos,e afirmou que a situação pode ter conseqüências "nefastas" para os pacientes,caso não se acelere o desenvolvimento de remédios adequados. "A XDR-TB pode ser devastadora em lugares em onde a aids seprolifera, mas tentar tratá-la com as ferramentas de que dispomoshoje em dia seria como tentar apagar um incêndio em uma floresta comuma mangueira de jardim", disse Françoise Louis, conselheira da MSF,em entrevista coletiva. "Com 450 mil casos de resistência aos medicamentos registradosanualmente, a situação está se deteriorando" e o problema aumenta,advertiu o presidente da MSF internacional, Rowan Gillies. As pessoas afetadas pela XDR-TB não respondem nem aos doisremédios de primeira linha mais potentes,nem aos de segunda, o que, de acordo com especialistas da ONG, tornapraticamente impossível o tratamento dessa doença com os meiosdisponíveis atualmente. Segundo eles, uma eventual infecção de XDR-TB em doentes de aidsseria "alarmante". Os dados da MSF indicam que os medicamentos utilizados atualmenteforam desenvolvidos nas décadas de 50 e 60, e que os testes dediagnóstico mais freqüentes surgiram há cerca de um século e têmíndice de falha que chega a 50% dos casos. Por isso, a organização humanitária pediu à OMS e à UniãoEuropéia (UE) a aceleração do desenvolvimento de novos remédios queestão em fase de experimentação clínica, além de maior financiamentoe prioridade à pesquisa dessa doença.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2006 | 18h34

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.