Ônibus da GCM irá monitorar o tráfico de drogas na Sé

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) instalou nesta quinta-feira, 10, um ônibus na Praça da Sé para monitorar o tráfico de drogas no centro de São Paulo. De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Segurança, o objetivo não é intimidar os usuários de drogas, mas identificá-los e oferecer tratamento de saúde. É o que afirma a secretária de assistência social do Município, Luciana Temer.

SUELLEN AMORIM, ESPECIAL PARA AE, Agência Estado

10 Outubro 2013 | 19h04

Luciana garantiu que não haverá coerção aos moradores de rua. Segundo ela, eles poderão continuar instalados em seus locais de escolha, além de utilizar os serviços públicos oferecidos pela Prefeitura. A ação faz parte do projeto "Crack: é possível vencer" e deverá contar com outros quatro ônibus espalhados por mais quatro pontos da cidade: Luz, Saúde, Praça da República e Avenida Teotônio Vilela.

Cada ônibus será equipado com seis câmeras e uma antena, com alcance de 800 metros e giro de 360 graus. O equipamento permite identificar o movimento do comércio de drogas e acionar o posto da GCM mais próximo, que dará voz de prisão aos traficantes.

De acordo com a secretária de assistência social, os usuários deverão ser encaminhados para tratamento público de saúde, a partir da manifestação de vontade própria. As imagens ficarão gravadas no arquivo do veículo e poderão ser utilizadas como prova na abordagem dos traficantes.

Mais conteúdo sobre:
crack ônibus monitoramento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.