ONU aprova missão da União Européia em Kosovo

Força de 2 mil integrantes assumirá policiamento e controle da alfândega.

Da BBC Brasil, BBC

27 Novembro 2008 | 07h57

O Conselho de Segurança da ONU aprovou um plano para passar para uma força da União Européia (UE) certas funções de segurança na província de Kosovo. Todos os 15 integrantes do Conselho de Segurança da ONU apoiaram o plano do secretário-geral Ban Ki-moon. Tanto Kosovo como a Sérvia já afirmaram que irão cooperar com a missão. A missão da UE terá 2 mil integrantes e deverá assumir, em dezembro, o controle da polícia e da alfândega, hoje nas mãos da ONU. Kosovo declarou independência da Sérvia em fevereiro, uma decisão que encontrou grande resistência por parte do governo sérvio. Apesar de ter concordado em permitir que a UE assuma as responsabilidades da ONU, a Sérvia não mudou sua posição em relação à independência de Kosovo, que considera parte de seu território. Objeções Kosovo se recusa a aceitar qualquer acordo que fizesse com que suas áreas de maioria sérvia continuassem sob o controle da ONU. O governo na capital Pristina teme que isso possa levar a uma divisão do território. A Sérvia havia sido contrária a idéia da União Européia desempenhar qualquer papel no território até que o plano estipulasse a permanência da ONU em áreas sérvias. Mas, no início da semana, os dois lados concordaram em aceitar a missão européia apesar de suas preocupações. O plano aprovado pelo Conselho de Segurança não faz nenhuma referência à questão da independência. A ONU não reconheceu a independência de Kosovo, reconhecida por cerca de 50 países, incluindo boa parte dos membros da União Européia. A população de Kosovo é 90% de origem albanesa. A minoria sérvia ocupa, principalmente, o norte do território, na fronteira com a Sérvia, e algumas outras áreas. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.