ONU corrige números sobre homicídios no Rio e em SP

A Organização das Nações Unidas (ONU) corrigiu os números referentes às taxas de homicídio do Rio de Janeiro e de São Paulo, que fazem parte do Estudo Global de Homicídios 2011, divulgado na última quinta-feira. De acordo com os números reais, em 2009 a média de assassinatos ficou em 10 a cada grupo de 100 mil habitantes na capital paulista e 35 a cada 100 mil habitantes na capital fluminense. A média do Brasil está em cerca de 30 a cada 100 mil.

EQUIPE AE, Agência Estado

08 de outubro de 2011 | 15h19

Os dados divulgados estavam bem acima da média real. O gráfico da página 78 do levantamento mostrava que a quantidade de homicídios estava em torno de 40 a cada 100 mil em São Paulo e de 100 a cada 100 mil no Rio de Janeiro, durante o mesmo período. Os números foram contestados pelo Instituto de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, que apontou média de 34,4 assassinatos em 2009. O mesmo ocorreu com os índices de São Paulo, que superavam quatro vezes o número registrado em 2009.

A errata está disponível no site das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (Unodc). "O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime informa que houve um erro na montagem do gráfico 6.4 da página 74, do Estudo Global sobre Homicídios 2011, que trata da queda dos índices de homicídios das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro" , informa a nota. A entidade alerta, no entanto, que a análise sobre a queda dos homicídios nas duas cidades está correta. As informações são da Agência Brasil.

Mais conteúdo sobre:
ONUhomicídiosRioSPcorreção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.