Operação contra o crack tira 63 pessoas das ruas no Rio

A prefeitura do Rio recolheu mais 63 moradores de rua nesta quarta-feira, durante operação de combate ao crack na região do Parque União, na Ilha do Governador, zona norte. Foi a terceira ação promovida desde que forças de segurança ocuparam as comunidades de Manguinhos e do Jacarezinho, na mesma região, onde funcionava a principal cracolândia carioca, e a primeira após o prefeito Eduardo Paes (PMDB) anunciar que vai adotar a internação compulsória inclusive para adultos dependentes químicos.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

24 de outubro de 2012 | 20h49

Divulgada no início da semana, a medida ainda não entrou em vigor, mas já gerou críticas de especialistas. A internação compulsória já vigora para crianças e adolescentes, com base em uma decisão judicial em favor da Prefeitura do Rio. Na quinta-feira, Paes se reúne, em Brasília, com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para discutir novas ações de combate ao crack. Ele vai pedir o apoio do ministro para a proposta de internar compulsoriamente adultos dependentes da droga.

O prefeito anunciou que a prefeitura do Rio vai criar, em caráter emergencial, 600 vagas para tratar os viciados.

Assim como o Jacarezinho, o Parque União também é considerado pelo governo municipal um polo de consumo de crack. A abordagem pelos 20 agentes da Secretaria Municipal de Assistência Social começou às 7h30 desta quarta. Três adolescentes estão entre os 63 recolhidos, que foram encaminhados para abrigos do município. Policiais civis da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV) e PMs do 22º Batalhão deram apoio à operação.

Tudo o que sabemos sobre:
CRACKREMOÇÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.