Operação contra sonegação fiscal da PF prende 4 em Minas

São Paulo, 11 - A Polícia Federal de Minas Gerais já prendeu quatro pessoas na manhã desta quarta-feira, 11, durante a Operação Excalibur, desencadeada com o objetivo de desarticular uma quadrilha formada por empresários, advogados, contadores e "laranjas", voltada para a prática dos crimes de sonegação fiscal, contra a ordem tributária, fraude à execução, falsidade ideológica e formação de quadrilha. Segundo a PF, o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 86 milhões.No total, serão cumpridos oito mandados de prisão temporária e 15 mandados de busca e apreensão, nos municípios mineiros de Belo Horizonte, Contagem, Governador Valadares, Nanuque e Teixeira de Freitas, na Bahia.Segundo a PF, as investigações tiveram início após o recebimento de um relatório elaborado pela Procuradoria da Fazenda Nacional em Governador Valadares, dando conta de que uma importante rede supermercadista do Estado de Minas, com oito hipermercados e três postos de combustíveis, estaria se utilizando de recursos ilegais para sonegar impostos. Após um ano de investigações, a Polícia Federal apurou que os verdadeiros donos das empresas investigadas, fazendo uso de cisões, incorporações e alterações contratuais com informações falsas, "laranjas" e empresas off-shore, suprimiram o pagamento de tributos da ordem de R$ 86 milhões, além de terem operado escondendo a natureza, a fonte, a propriedade e o controle dos recursos gerados por seus negócios, procedimento conhecido como "blindagem" patrimonial.

SOLANGE SPIGLIATTI, Central de Noticias

11 de fevereiro de 2009 | 08h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.