Operação no Pinheirinho, em SP, prende 30 pessoas

Trinta pessoas foram presas hoje durante operação para reintegração de posse do acampamento Pinheirinho, na zona sul de São José dos Campos (SP). Segundo a Polícia Militar, nove veículos foram incendiados.

JOÃO CARLOS DE FARIA, Agência Estado

23 de janeiro de 2012 | 08h18

Entre os presos, 10 pessoas, entre elas um menor, ocupavam uma casa de família no bairro vizinho de Campo dos Alemães há três dias. Outros três presos estavam em duas residências, no mesmo bairro. Todos são traficantes e confessaram à policia que migraram do Pinheirinho para o Campo dos Alemães. Foram apreendidos 1.100 invólucros de maconha e 338 quilos de cocaína. Outras duas pessoas foram detidas quando tentavam jogar coquetel molotov em um depósito de gás, no Campo dos Alemães.

Além de nove veículos que foram incendiados durante o dia, entre eles o da TV Vanguarda, afiliada da Rede Globo, uma padaria, do vereador Robertinho da Padaria (PPS), também pegou fogo. Alguns moradores, que não estavam em casa ontem durante a distribuição de senhas, já faziam filas na manhã de hoje para se cadastrar e receber um número que permite recolher os objetos pessoais, que devem ser retirados ainda hoje.

Representantes de entidades sindicais e de movimentos social e estudantil da região de São José dos Campos prometem realizar na manhã de hoje uma manifestação contra a desocupação do acampamento Pinheirinho. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, o ato deve ser feito também em outras cidades do País ao longo do dia.

A manifestação está prevista para começar às 9 horas, na Praça Afonso Pena, em São José dos Campos. O objetivo da manifestação é denunciar a ação dos governos estadual e municipal do PSDB que ordenaram o despejo de nove mil famílias da Ocupação Pinheirinho.

As famílias, em grande maioria idosos, mulheres e crianças, estão alojadas, segundo o sindicato, em abrigos improvisados e sem estrutura da prefeitura, que sequer conseguiu atender a todos. Cerca de mil moradores se abrigaram na Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e chegaram a ser atacadas com bombas pela PM, por volta das 23 horas de ontem.

Tudo o que sabemos sobre:
políciaPinheirinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.