Operação nos subúrbios de Paris prende 33

Objetivo da ação era deter responsáveis por choques com a polícia no ano passado.

Daniela Fernandes, BBC

18 Fevereiro 2008 | 12h30

Trinta e três pessoas foram presas em uma grande operação realizada por mais de mil policiais na manhã desta segunda-feira no subúrbio de Villiers-le-Bel, nos arredores de Paris, para deter os supostos envolvidos nos violentos confrontos entre jovens e a polícia em novembro do ano passado.Os choques, detonados pela morte de dois adolescentes que estavam em uma moto que bateu contra uma viatura policial, foram os mais graves registrados na França desde 2005, quando uma onda de violência se alastrou pelas periferias do país.A operação desta segunda-feira teve início às 6 horas da manhã (3 horas em Brasília)e utilizou meios excepcionais: policiais do Raid (unidade de elite da polícia francesa) que atuam em situações extremas como a tomada de reféns, além de agentes do escritório central de repressão à criminalidade, invadiram os apartamentos dos suspeitos em grupos de 30 homens, enquanto outros policiais vigiavam as entradas dos prédios.Um veículo da brigada anti-gangue, blindado e que resiste ao fogo, foi utilizado como quartel-general da intervenção, que visou deter 37 suspeitos e foi realizada também nos subúrbios de Gonesse e Sarcelles, próximos a Villiers-le-Bel.A operação foi realizada sob os holofotes das câmeras de TV. Centenas de jornalistas cobriram o evento, o que provocou grande polêmica no país."Câmeras que acompanham ao vivo operações policiais em pleno período de campanha para as eleições municipais é uma maneira de influenciar a opinião pública", declarou a ex-candidata do Partido Socialista à Presidência Ségolène Roya .A ministra do Interior, Michèlle Alliot-Marie, declarou "lamentar que a informação tenha vazado para a imprensa". Segundo ela, a presença de repórteres no local poderia ter tido "conseqüências graves para a operação e para a própria segurança dos jornalistas".Um sindicato de policiais teria avisado a imprensa francesa sobre a operação.Onda de violênciaNo ano passado o grau de violência contra os policiais foi bastante alto. Pela primeira vez tiros com fuzis de caça foram disparados contra policiais. Em apenas dois dias de choques, mais de uma centena de policiais ficaram feridos, muitos deles a tiros.Inúmeros prédios públicos, entre eles a biblioteca de Villiers-le-Bel, e dezenas de carros também foram destruídos durante os confrontos.O presidente Nicolas Sarkozy voltou a reiterar recentemente que os autores dessas agressões contra policiais vão ser detidos e julgados.Cartas deixadas nas caixas de correspondência dos moradores de Villiers-le-Bel em dezembro passado ofereciam recompensas de "vários milhares de euros" às pessoas que fornecessem informações sobre os envolvidos nos choques com a polícia.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.