Operário atingido por vergalhão passa bem

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio (Crea-RJ) constatou irregularidades, nesta sexta-feira, na obra em Botafogo (zona sul do Rio) onde um operário foi atingido, na última quarta-feira, por um vergalhão que caiu do quinto andar e perfurou seu crânio. Eduardo Leite, de 24 anos, está internado no Centro de Terapia Intensiva do Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, e passa bem. Segundo os médicos, está lúcido e não apresenta sequelas, mas ainda não há previsão de alta.

FÁBIO GRELLET, Agência Estado

17 de agosto de 2012 | 18h57

Leite trabalhava no térreo quando o vergalhão, de dois metros de comprimento, caiu, perfurou seu capacete, entrou pela parte superior da cabeça e saiu pela região entre os olhos, ficando cravado em sua cabeça. Socorrido pelos bombeiros, ele chegou consciente ao hospital e foi submetido a cirurgia que durou cinco horas.

Em vistoria, o Crea-RJ concluiu que os vergalhões não estavam bem amarrados quando foram içados, descumprindo normas de segurança. Segundo a entidade, ninguém isolou a área quando o vergalhão foi içado, procedimento de praxe que evitaria o acidente. Naquele momento não havia na obra responsável técnico de segurança, diz o Crea. A engenheira responsável pela obra foi convocada para depor ao Crea, e terá uma das Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs) cancelada, já que assumiu a responsabilidade técnica tanto pela obra quanto pela segurança, o que é proibido.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.