Oposição a Luizianne lança movimento por 2o turno em Fortaleza

Os adversários da prefeita e candidata à reeleição, Luizianne Lins (PT), que lidera as pesquisas para a prefeitura de Fortaleza com 50 por cento das intenções de voto, se uniram em uma campanha para levar à disputa ao segundo turno. Encabeçada por Moroni Torgan (DEM) e Patrícia Saboya (PDT), a oposição à candidata petista lançou o movimento "Eu quero segundo turno, eu quero a verdade". O movimento conta ainda como apoio dos candidatos a prefeito do PR e PPS. Em resposta, Luizianne Lins (PT), com chances de se reeleger já no primeiro turno, convocou a militância a reagir às criticas que vem sofrendo de seus adversários e garantir a vitória já no domingo. Embora as últimas pesquisas apontem uma larga vantagem para Luizianne, com mais de 20 pontos à frente de seus adversários, a candidata petista é cautelosa e afirma que "a vitória só está colocada depois de abrir as urnas e se contar o último voto", afirmou à Reuters. Sobre as possíveis alianças num segundo turno disse que só depois de saber quem será seu adversário o assunto será discutido. "Vamos primeiro continuar firmando nossa aliança com o povo de Fortaleza e, caso tenhamos que enfrentar o segundo turno, vamos tentar dialogar com os eleitores das outras candidaturas que não chegaram lá", acrescentou ela. Enquanto isso, Moroni e Patrícia já ensaiam uma aliança contra a prefeita. Embora os dois candidatos digam que estarão no segundo turno e não admitam publicamente alianças posteriores, o vice de Moroni, Alexandre Pereira (PP), deu a pista durante lançamento da campanha pelo segundo turno. Perguntado se Moroni terá apoio de Patrícia, ele disse não existir dúvidas de que haverá o apoio de Patrícia, da mesma forma que Moroni deverá apoiá-la caso a candidata do PDT seja eleita para disputar com Luizianne. O assessor de imprensa de Patrícia, Nicolau Araújo, por sua vez, disse à Reuters que a candidata tem convicção que estará no segundo turno e que aceitará de "muito bom grado" o apoio de Moroni. Disse ainda que, provavelmente, Patrícia deverá apoiá-lo, caso seja ele o escolhido. (Reportagem de Clara Guimarães)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.