Oposição em Burkina Faso exige renúncia do presidente

Os partidos de oposição de Burkina Faso exigiram no sábado a saída do presidente Blaise Compaoré do cargo, culpando-o por provocar uma onda de violência no país do oeste africano.

MATHIEU BONGKOUNGOU, REUTERS

30 Abril 2011 | 17h46

Os soldados têm saqueado lojas e feito disparos com armas durante os meses de protestos no país contra as condições precárias de vida.

Os civis também tomaram as ruas do país contra o aumento dos preços dos alimentos e dos combustíveis.

"Nosso país está em crise, uma crise profunda e pensamos que Blaise Compaoré é a causa dessa crise", disse o líder da oposição socialista Frente das Forças, Norbert Tiendrebeogo, em uma reunião de 34 partidos da oposição na capital Ouagadougou.

"É por isso que estamos dizendo que ele é o problema, e a solução é a sua partida", disse Tiendrebeogo.

Os partidos lançaram uma declaração conjunta, exigindo a renúncia de Compaoré.

O presidente Compaoré, um ex-capitão do exército, chegou ao poder na nação produtora de ouro e algodão, em um golpe em 1987.

Desde então, ele enfrentou uma oposição pouco efetiva e venceu as duas últimas eleições em 2005 e 2010, com uma maioria esmagadora.

Neste mês, Compaoré substituiu o governo e o chefe das forças armadas e passou a ocupar também o cargo de ministro da Defesa.

O presidente disse na sexta-feira que os soldados do governo haviam prometido acabar com os protestos violentos.

Mais conteúdo sobre:
BURKINAOPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.