Oposição mantém indecisão sobre 2º turno no Zimbábue

Partido Tsvangirai não chega a decisão sobre ir a nova votação contra Mugabe.

Da BBC Brasil, BBC

03 de maio de 2008 | 16h20

Uma reunião convocada pelo partido opositor do Zimbábue Movimento para a Mudança Democrática (MDC, na sigla em inglês) não conseguiu chegar a uma decisão neste sábado sobre a possibilidade de seu líder, Morgan Tsvangirai, participar de um segundo turno das eleições presidenciais contra o atual presidente, Robert Mugabe.A Comissão Eleitoral do país anunciou na sexta-feira, mais de um mês após o primeiro turno das eleições presidenciais, que Tsvangirai havia sido o mais votado, mas que não havia alcançado a maioria absoluta, tornando necessário um segundo turno.O MDC, porém, afirma que Tsvangirai venceu no primeiro turno e classificou o anúncio da Comissão Eleitoral como "fraude".Além disso, a violência política verificada no último mês no país, em meio à falta de notícias sobre a contagem oficial de votos, pode tornar difícil a realização de uma nova votação com legitimidade.IntervençãoUma delegação do MDC deve partir à África do Sul, onde está Tsvangirai, antes de tomar a decisão final sobre participar ou não do segundo turno.A oposição deseja uma intervenção da comunidade internacional para melhorar o clima político no país e permitir uma transição.O vice-presidente do MDC, Hokozani Khupe, pediu ajuda ao bloco regional do sul da África, Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC na sigla em inglês).O governo também tem suas preocupações com o atual clima político e acusa a Grã-Bretanha e os Estados Unidos de financiar a oposição.Bright Matonga, vice-ministro de Informação do Zimbábue, disse à BBC que o segundo turno poderia ocorrer logo, mas advertiu que a violência poderia adiar a votação por até um ano se as autoridades eleitorais considerarem necessário."O prazo é 21 dias após a declaração dos resultados. Porém se a Comissão Eleitoral considerar de maneira diferente, a Constituição prevê que pode ser feito em um prazo de 12 meses", disse Matonga.Mugabe, um dos heróis da independência do Zimbábue do domínio britânico, se mantém na Presidência desde 1980 e é acusado pela oposição de presidir o país de maneira autoritária e repressora.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.