Oposição russa lamenta assassinato de líder Nemtsov

Milhares de russos atordoados depositaram flores e velas acesas neste sábado na ponte onde o político da oposição Boris Nemtsov foi morto a tiros perto do Kremlin, um assassinato que mostrou os riscos de manifestações contrárias ao presidente Vladimir Putin.

REUTERS

28 Fevereiro 2015 | 10h28

Nemtsov, 55 anos, foi baleado quatro vezes nas costas por assaltantes em um carro branco, enquanto ele atravessa uma ponte sobre o rio Moskva, no centro de Moscou na companhia de mulher ucraniana, que saiu ilesa, pouco antes de meia-noite de sexta-feira, informou a polícia.

A polícia isolou a ponte manchada de sangue que fica perto das muralhas vermelhas do Kremlin e da Praça Vermelha por duas horas durante a noite, em seguida, liberou o acesso conforme as pessoas vieram prestar homenagem a um dos maiores opositores de Putin sobre o papel da Rússia na Ucrânia.

Flores foram empilhadas, pelo menos um metro de altura, cerca de dois metros de profundidade e dois metros de largura. Um pedaço de papel branco dizendo "Somos todos Nemtsov" estava entre as flores.

"As pessoas têm medo de apoiar o nosso movimento. Ativistas da oposição recebem ameaças todos os dias e Boris não foi exceção. Mas eles não vão nos parar", disse o ativista da oposição Mark Galperin.

Um antigo vice-primeiro-ministro que temia ser morto, Nemtsov foi a figura da oposição mais proeminente a ser assassinada durante os 15 anos de governo de Putin.

Mais conteúdo sobre:
MUNDO RUSSIA ASSASSINATO LIDER OPOSICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.