Oposicionista será premiê de governo de transição no Quênia

O presidente do Quênia, Mwai Kibaki,nomeou o rival político Raila Odinga como líder de um governode transição no domingo, encerrando semanas de impasse queameaçou a recuperação econômica do país depois de uma violentosconfrontos pós-eleitorais. "Eu estou hoje anunciando o gabinete para o grande governode coalizão", disse Kibaki em um pronunciamento ao vivo na TVao lado de Odinga, que foi nomeado primeiro-ministro. "Eu quero agradecer a vocês, meus companheiros quenianos,por sua tolerância e paciência durante esse período... Eu fareitodo o possível para assegurar que nosso país Quênia está nostrilhos da paz, da unidade e da estabilidade." A nomeação de um gabinete com divisão de poderes éfundamental para um acordo que encerre a crise pós-eleitoralque se abateu sobre a nação do leste africano. Mais de 1.200pessoas morreram e 300 mil foram expulsas de suas casas no quese tornou o mais sangrento episódio da história do país desdesua independência, em 1963. A violência explodiu depois que Odinga acusou Kibaki, omais longevo governante do Quênia, de fraudar sua reeleição em27 de dezembro, na mais apertada disputa presidencial de todosos tempos no país.

REUTERS

13 de abril de 2008 | 12h26

Tudo o que sabemos sobre:
QUENIAGABINETE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.