Organização diz que forças sírias atacaram escola; militares negam

Um grupo que monitora a guerra síria disse que pelo menos nove pessoas, incluindo cinco crianças, foram mortas num ataque das forças sírias contra uma escola numa área controlada pelos rebeldes em Aleppo, segunda cidade do país, neste domingo, apesar de os militares negarem o relato.

REUTERS

12 Abril 2015 | 12h03

Uma fonte militar síria afirmou à Reuters que o exército havia intensificado as ações contra os rebeldes desde que os insurgentes bombardearam uma área residencial controlada pelo governo no noroeste da cidade no sábado. No entanto, ele afirmou que os militares não estavam atacando civis.

Aleppo é uma importante frente de batalha no conflito civil que já dura quatro ano, uma guerra na qual, segundo as Nações Unidas, já morreram cerca de 220 mil pessoas.

A organização Observatório Sírio para os Direitos Humanos, que usa uma rede de fontes na Síria para monitorar o conflito, disse que o número de mortos no ataque à escola deveria aumentar.

Ela disse que os mortos incluem duas mulheres.

(Por Tom Perry)

Mais conteúdo sobre:
MUNDO SIRIA ATAQUES ESCOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.