Orkut muda para enfrentar o Facebook

Rede social mais popular do País, que pertence ao Google, lança nova versão e promete acesso mais fácil e mais rápido

Renato Cruz, O Estadao de S.Paulo

30 Outubro 2009 | 00h00

Na semana passada, quando foi lançado o Windows 7, sucessor do Vista, a Microsoft prometeu que o novo sistema operacional seria "mais fácil e mais rápido". Ontem, quando anunciou a nova versão do Orkut, o Google adotou o mesmo discurso. "Ele está mais fácil e mais rápido de usar", disse Eduardo Thuller, gerente de Produto do Google, ao ser perguntado sobre a principal diferença em relação à versão atual.

No ano passado, o gigante da internet transferiu o controle da rede social para o Brasil e a Índia, os dois países onde o site é mais popular. Desde então, ele foi totalmente reescrito, e a nova versão foi anunciada ontem. Por enquanto, é necessário ter um convite para converter seu perfil para o novo Orkut.

O grande concorrente do Orkut por aqui é o Facebook, rede social mais popular do mundo. No Brasil, o Orkut teve 22,8 milhões de usuários em setembro, segundo a consultoria ComScore. O número leva em conta pessoas com 15 anos ou mais, que acessam a rede de casa ou do trabalho. A audiência do Facebook no País ainda é pequena, de 1,8 milhão, mas o crescimento não: sua audiência aumentou 407% em 12 meses. No mesmo período, o Orkut avançou 10%. No mundo, o Facebook teve 389,5 milhões de usuários em agosto, com alta de 153% em 12 meses. O Orkut teve 51,1 milhões, um avanço de 21%.

O crescimento do Facebook no mercado brasileiro, e o apetite da empresa pelo País, foram bem demonstrados durante a visita de Mark Zuckerberg, fundador da empresa, ao Brasil, em agosto. "Se quisermos fazer sucesso em todos os países grandes, temos de fazer sucesso no Brasil", disse Zuckerberg, na ocasião. Durante a visita, ele atuou como um grande divulgador do site e, logo depois, foi lançada uma ferramenta para achar seus amigos do Orkut no Facebook.

"A cada três, quatro ou cinco anos, é preciso reescrever todo o produto", disse Berthier Ribeiro, diretor de Engenharia do Google América Latina. "Essa é a primeira de várias mudanças do Orkut", afirmou Victor Ribeiro, diretor de Produto do Orkut. Algumas mudanças tornaram o Orkut mais parecido com o Facebook. Uma delas é a linha de status, do lado do perfil, para o usuário escrever uma mensagem sobre ele mesmo (como faz também no Twitter). Outra é a sugestão de amigos, facilidade presente no Facebook, e agora também no Orkut.

O Google nega que tenha feito mudanças de olho na concorrência. "Nós fizemos o que o usuário está pedindo", explicou Victor Ribeiro. O sistema de publicação de fotos ficou mais fácil, e a definição de níveis de privacidade para as fotos ficou mais clara. Agora, o usuário pode publicar um vídeo no lugar de escrever uma descrição sobre si mesmo, ou no lugar de deixar um comentário sobre um amigo. Também pode mudar as cores do seu perfil. Os executivos do Google disseram ter a intenção de internacionalizar o Orkut, mas não deram nenhuma indicação sobre como pretendem fazer isso.

Uma das mudanças que devem vir por aí, e que não foram confirmadas diretamente no lançamento do novo Orkut, é a abertura do conteúdo que está na Orkut para a rede, levando-se em conta todas as questões de privacidade. Hoje, quando se procura um nome no Google, a página da pessoa no Facebook (quando ela existe) aparece entre os primeiros resultados. A do Orkut ainda não aparece. Esta semana, o Google lançou nos EUA o serviço Google Social Search, para agrupar conteúdos gerados pelos contatos em redes sociais e serviços como o Gmail e o Gtalk, e que ainda não inclui o Orkut.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.