Ovinos e caprinos: o voto dos comilões

Anna Angotti & Demian Ta kahashi Paleta de cabrito - Gero "Olha como a carne desmancha!", eu cutucava com o garfo o cabrito para conferir se havia algum ponto duro - sem sucesso. Na boca, foi uma revelação: a carne tinha sido domada de maneira incrível, revelando muito sabor sem exagero de gordura. Os temperos não estavam lá para se exibir. A Anna não deixou dúvidas: "Uau, está melhor do que o que você faz em casa..." Mesmo com o orgulho ferido, concordei com prazer. Veja também: Comentários sobre os outros indicados: Paleta de cordeiro - Maní Agnello al forno - Gero Costeleta de cordeiro com batata gratinada - Due Cuochi Cucina Atolado de bode - Mocotó   Blog Alhos, passas e maçãs Paleta de cabrito - Gero Três elementos, nem mais nem menos: cabrito, batata e brócolis. Está tudo ali, articulado pelo molho do assado e exibindo o vigor dos ingredientes e da execução. Como é possível que um prato a princípio tão simples surpreenda tanto? O cabrito arrebata. Venceu por um quarto de chifre de vantagem.   Braulio Pa smanik Costeleta de cordeiro - Due Cuochi Cucina Esta costeleta é um achado! Ao retirar a cinta de gordura que envolve a carne e resolver, com bom tempero e cuidado na grelha, o desafio de cozinhar o cordeiro à perfeição, Paulinho Barros tem em seu cardápio a melhor costeleta de cordeiro que já comi e como acho que este é o melhor pedaço do animal, leva meu voto.   Flávio Siqueira Paleta de Cordeiro - Maní Alto, úmido, macio, de sabores discretos, embora marcantes. Uma carne que se desmancha no garfo com esmero, saborosa sem elementos graxos em demasia. O estômago agradece de coração.   Jacques Trefois Paleta de cordeiro - Maní O êxito do Maní é irreversível graças à dedicação e à habilidade do casal que comanda a casa. Esta excelente paleta de cordeiro cozida muitas horas a baixa temperatura é especial. Acompanham deliciosas maniocas. Esse prato tem tudo.   Janaina Fidalgo Paleta de cordeiro - Maní Cordeiro sem disfarces nem subterfúgios para esconder o sabor "cordeiroso". A carne derrete na boca; e o molho é ótimo para melecar os palitinhos de legumes assados.   Luiz Américo Camargo Paleta de cordeiro - Maní A técnica, nas mãos certas, com o produto certo, leva um prato a alturas improváveis. É o caso desta paleta de cordeiro, preparada num lento processo de cocção e servida com tubérculos al dente e uma farofa provocantemente crocante. Você pode até tentar pensar nos meios e procedimentos para se chegar a um sabor tão profundo ou a uma textura tão macia. Mas deixe isso para depois da refeição. Na hora, seu impulso será o de devorador, e só.   Luiz Horta Atolado de bode - Mocotó O Mocotó continua sendo a universidade do sertão em São Paulo. Não teve para ninguém, prato perfeito e brilhantemente executado por Rodrigo Oliveira, leveza na dureza. Consegue o impossível: que comer bode seja considerado fino.   Neide Rigo Atolado de bode - Mocotó Já comi muitas vezes o atolado de bode e, como sempre, estava espetacular. Farto, suculento e perfumado, o prato tem "cabritice" inconfundível, mas discreta e juvenil que só remete ao bode lá longe. Tem sal correto, tempero delicioso e chega à mesa pegando fogo. Fazendo cama para a carne, os toletes macios de mandioca absorvem o tempero sem perder a personalidade. Peça farinha e pimenta para não desperdiçar o molho.   Patrícia Ferraz Paleta de cabrito - Gero Comida de alma, simples, mas executada com rigor técnico: a carne estava macia, assada no ponto, temperada sem invencionices e com sabedoria. Para acompanhar, batatas assadas com alecrim.   Roberto Smeraldi Costeleta de cordeiro - Due Cuochi Cucina Simplicidade, e pronto. Aroma das ervas e alho, qualidade do carré, batata rústica bem protegida em sua crostinha, até o aspargo decorativo é de boa qualidade e mantém sua textura no vapor.   Silvio Giannini Paleta de cabrito - Gero Prepare uma marinada de vinho branco, generosa no uso de cebola, alho, cenoura, salsão, pimenta-preta, tomilho e alecrim, sal e azeite. Deixe o cabrito se banhar nessa piscina aromática por 48 horas - 24 horas de cada lado. Vá imaginando o gosto que o cabrito vai adquirir. Sua paciência terminou? Prepare-se porque serão necessárias mais 7 horas a baixíssima temperatura no forno. Por fim, quando for servir, já dessosada e cortada em generosos pedaços, acrescente discretas pitadas de flor de sal da Guerànde. Acompanhe com batatinhas "novelle" com azeite e alecrim. É impossível resistir a um cabrito assim.   Desempate: Ilan Kow Paleta de cordeiro - Maní No Jóquei, um cavalo pode ganhar do outro por uma paleta. Mas entre pratos, como é que se define a vantagem do vencedor? Pelo sabor. Ganhou a do Maní: de gosto forte e, ainda assim, leve e macia. (Mas, atenção: ganhou só por uma paleta...)

O Estado de S. Paulo,

25 Novembro 2009 | 22h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.