Paciente descobre por acaso problema grave no coração

O construtor Arnaldo Aparecido Carvalho tinha 40 anos quando se descobriu diabético. Estava em um plantão de vendas de imóveis quando surpreendeu o colega ao beber, de um gole só, 2 litros de refrigerante. "Vê se você não está diabético", aconselhou o companheiro de trabalho.

O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2012 | 02h02

E estava. Carvalho passou a controlar a doença com insulina. Ao longo dos anos, a diabete, o tabagismo e a alimentação desequilibrada contribuíram para que as artérias ficassem obstruídas.

Mas Carvalho não tinha sintomas nem cansaço. Aos 55 anos, quando fez os exames preparatórios para uma cirurgia para tratar cálculos renais, o médico cancelou a operação: "Esquece a cirurgia no rim. Seu coração está inchado", disse o profissional.

Internado no Incor, Carvalho estabilizou a diabete e recebeu quatro pontes - duas de safena e duas mamárias.

Ele foi um dos pacientes avaliados no estudo Freedom. "Estou ótimo, nem parece que operei o coração", afirma o construtor, aos 59 anos. / C.T.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.