Paçoca e sequilhos na história de São Paulo

Quando notou a ausência cada vez mais marcante dos bolinhos de chuva, sequilhos, paçoca de carne-seca e galinhada das mesas em São Paulo, Rosa Belluzzo muniu-se de livros de história e antigos cadernos de receitas para resgatar a cozinha paulista. A pesquisa deu origem a São Paulo - Memória e Sabor (Editora Unesp, R$ 70), obra que narra as origens da culinária paulista, suas múltiplas influências, refaz as rotas dos bandeirantes, dos tropeiros e se refestela com as delícias da cozinha caipira.A história se confunde com os registros nos cadernos de receitas de várias famílias e cozinheiras de mão cheia. O receituário mais antigo é de 1911, de d. Hermelina Pereira de Mello, avó da autora. Entre as receitas salvas do esquecimento, estão o virado à paulista, a brevidade, o angu, e o bolo de melado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.