Padrasto e mãe de criança espancada vão a júri popular

O padrasto e a mãe de uma criança de 4 anos, que morreu uma semana depois de ser espancada, no ano passado, vão a júri popular, segundo informações do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). O casal Leílson Araújo do Espírito Santo e Daniele da Silva Maciel são acusados por homicídio qualificado. Eles estão presos no Rio e irão a júri popular em data a ser marcada. O crime é considerado hediondo.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

24 de fevereiro de 2011 | 15h33

A decisão foi do juiz Christiano Gonçalves Paes Leme, em exercício na 1.ª Vara Criminal de Volta Redonda, no sul fluminense, que acolheu pedido do Ministério Público estadual. Segundo a denúncia do MP, a agressão teria ocorrido na noite do dia 18 de maio de 2010, quando o padrasto, de 32 anos, deu socos e chutes na criança e a jogou contra a parede.

A criança morreu uma semana depois de ser internado, com hemorragia cerebral, no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Vitinha, em Volta Redonda. Ela chegou ao centro cirúrgico com o fêmur fraturado, lesão abdominal, múltiplos hematomas, além da síndrome de Silverstone, que é a síndrome da criança espancada.

Ausente de casa no momento do crime, Daniele da Silva, de 31 anos, também será julgada por omissão, uma vez que teria descumprido o dever legal de cuidado, proteção e vigilância da criança.

Segundo o juiz, além da comprovação da materialidade do crime pelo exame cadavérico e pela certidão de óbito da criança, os depoimentos das testemunhas em juízo revelam a existência de indícios de autoria dos denunciados na prática do crime descrito na denúncia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.