Padre espanhol e coroinha são beatificados no RS

Mesmo com chuva, um público estimado de 40 mil fiéis acompanhou hoje, em Frederico Westphalen (RS), a cerimônia de beatificação do padre espanhol Manoel Gómez Gonzalez e do coroinha Adílio Daronch. Eles foram assassinados a tiros em 21 de maio de 1924, próximo à cidade de Três Passos, na mesma região.A cerimônia, celebrada pelo cardeal português José Saraiva Martins, enviado especial do Vaticano, deu ao Rio Grande do Sul o primeiro beato e único coroinha brasileiro a ser beatificado. Realizada no Parque de Eventos Monsenhor Vítor Batistella, na entrada da cidade, o ato de beatificação de teve presença de descendentes espanhóis do padre Gonzalez e de duas irmãs ainda vivas de Adílio Daronch: Zulmira, de 94 anos, e Anita, de 89. Elas portavam o relicário feito em Roma com parte dos restos mortais dos beatos, durante o canto de Aleluia."É uma bênção estarmos vivas para podermos participar da beatificação de nosso irmão", resumiu, emocionada, Anita. Antes da missa, o fato que gerou a beatificação foi encenado por atores, relembrando o ano de 1924, quando González e Daronch percorreram, a cavalo, cerca de 300 quilômetros pedindo o fim da violência entre chimangos e maragatos, as duas forças políticas do Estado. Após uma emboscada, foram torturados e assassinados a tiros.

CARLOS ALBERTO FRUET, Agencia Estado

21 de outubro de 2007 | 17h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.