Padre sequestrado inocenta o novo papa, diz revista

Um dos religiosos diretamente envolvidos na polêmica em torno do papa Francisco, o padre Franz Jalics não confirma as acusações que pesam sobre ele. De acordo com a revista Der Spiegel, o jesuíta hoje vive na Alemanha e se diz "em paz" com Jorge Mario Bergoglio. A reportagem traz informações do porta-voz dos jesuítas na Alemanha, Thomas Busch, e não de Jalics - que não quis falar à imprensa. Segundo Busch, o jesuíta visitou a Argentina anos após sua libertação a convite de Bergoglio, com quem teria dirimido diferenças e selado um entendimento.

O Estado de S.Paulo

16 de março de 2013 | 02h01

Jalics vive desde 1978 na Alemanha, onde se exilou após o sequestro, prisão e tortura. No livro El Jesuita, de 2010, Bergoglio respondeu às acusações de colaboração com a ditadura. "Fiz o que pude com a idade que eu tinha e as poucas relações com que contava, para advogar pelas pessoas sequestradas." / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.