Paes e Gabeira trocam acusações sobre projetos de luxo e de lixo

Dois projetos polêmicos, um de luxo e outro de lixo, provocaram trocas de acusações, nesta sexta-feira, entre os candidatos à prefeitura carioca: a Cidade da Música - obra faraônica da atual gestão, ao custo de pelo menos 500 milhões de reais, e o aterro sanitário de Paciência, na Zona Oeste. Em debate na rádio CBN, Gabeira acusou Paes de ter sido favorável à construção da Cidade da Música no passado, quando integrava o mesmo grupo político do prefeito Cesar Maia. O peemedebista admitiu o fato, mas devolveu a crítica à Gabeira, que teria indicado o secretário de Urbanismo, Alfredo Sirkis (PV), responsável pelo projeto. "É uma obra que ia começar com 50, 60 milhões de reais. Então, o mais grave é que o secretário de Urbanismo, que você indicou para o prefeito Cesar Maia, é que fez essa Cidade da Música", disse Paes, considerando a obra um "equívoco" e "inacreditável" o tamanho do gasto "numa cidade que sofre tanto." Pivô do conflito entre Gabeira e uma vereadora aliada, o aterro sanitário de Paciência, na Zona Oeste, também continua alimentando trocas de acusações entre os adversários. No debate, Gabeira e Paes disputaram o posto de maior inimigo do lixão. Gabeira afirmou que Paes se omitiu, junto ao governo estadual, em relação à implantação de mais um aterro sanitário na região - onde moradores reclamam por receber do Estado apenas penitenciárias e lixões. "Eu sou contra o aterro sanitário de Paciência. Mas eu lamento que o Eduardo Paes, sendo contra, não tenha influenciado o governo Sérgio Cabral, que foi quem licenciou Paciência... O processo está sendo impulsionado pelo governo estadual", atacou Gabeira, referindo-se ao maior cabo eleitoral de Paes, o próprio governador. Na pior saia justa da campanha, Gabeira disse que a vereadora Lucinha (PSDB), a mais votada do Rio, era "analfabeta política" e tinha "visão suburbana" sobre o problema do lixão. A vereadora é contrária ao aterro sanitário. Paes voltou a explorar o conflito: "O deputado Gabeira mudou de posição agora sobre o lixão de Paciência, que gerou essa confusão com uma vereadora eleita pela Zona Oeste... Desde a campanha de 2000, isso gera debate, mais uma vez se volta ao debate do lixão de Paciência. Se eu vencer as eleições, o tema Paciência se esgota." (Reportagem de Carla Marques)

REUTERS

17 de outubro de 2008 | 12h52

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESRJACUSACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.