Pagar IPVA à vista pode ser bom negócio, diz economista

A maioria dos proprietários de veículos do Estado de São Paulo já recebeu em casa um comunicado com informações sobre o recolhimento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). O contribuinte tem a opção de pagar o IPVA em cota única com abatimento de 3,5% em janeiro, em cota única sem desconto em fevereiro ou, ainda, em três parcelas mensais, de janeiro a março. O economista Marcos Silvestre, coordenador do Centro de Finanças Pessoais e Negócios (Cefipe), recomenda aos proprietários que, se tiverem dinheiro disponível, quitem o imposto em janeiro, com desconto. Segundo ele, vale a pena até retirar o dinheiro de uma aplicação financeira para pagar o IPVA à vista. Só compensaria deixar o dinheiro aplicado para retirá-lo na hora da quitação das parcelas mensais se o contribuinte conseguisse rendimento de 5%, um porcentual que está muito acima do cerca de 1% ao mês que o mercado está remunerando nas aplicações em fundos de renda fixa ou em torno de 0,65% na caderneta. Seguro ObrigatórioO IPVA e o Seguro Obrigatório devem ser pagos na rede bancária credenciada ou Banco24Horas. Segundo a Secretaria da Fazenda, essas duas obrigações vencem na mesma data, mas elas não estão vinculadas, ou seja, o recolhimento de uma não pressupõe o pagamento da outra. Como já vem ocorrendo nos últimos anos, o proprietário que quiser também poderá antecipar o licenciamento do veículo para os meses de janeiro, fevereiro ou março, independentemente do escalonamento pelo número final de placa. O licenciamento poderá ser feito no momento do pagamento à vista ou na quitação da última parcela do IPVA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.