Pai de Madeleine nega planos para realizar filme

Em blog, Gerry McCann afirma que especulações sobre filme 'são totalmente falsas'.

BBC Brasil, BBC

09 de janeiro de 2008 | 14h39

O pai da menina britânica Madeleine McCann negou que a família esteja negociando com uma produtora para fazer um filme sobre o desaparecimento da filha, em maio do ano passado, em um resort em Portugal.Gerry McCann escreveu em seu blog que "as especulações sobre o filme são simplesmente falsas"."Podemos negar categoricamente que estejamos considerando fazer um filme sobre o desaparecimento da Maddie", escreveu o pai da menina. "Isso é completamente falso."Na terça-feira, o jornal britânico Daily Mail afirmou que a família McCann estava em negociação com a companhia internacional de entretenimento IMG e a produtora de filmes londrina Darlow Smithson.Se houvesse acordo, afirmou o jornal, os McCann utilizariam o dinheiro obtido com o filme para continuar financiando a busca por Madeleine.ProjetosGerry disse ainda em seu blog que ele e a mulher Katie já foram procurados várias vezes por produtoras que "propõem uma infinidade de projetos", mas que apenas uma "proporção ínfima" é levada em consideração.Ele admitiu, no entanto, ter participado de "discussões preliminares" sobre um documentário a respeito do casal, que exploraria as dificuldades que a família vem enfrentando desde o sumiço da menina."Cada proposta é examinada apenas pelas possibilidades de contribuir nas buscas por Madeleine", escreveu.O porta-voz da família McCann, Clarence Mitchell, confirmou na terça-feira ter participado de um encontro, antes do Natal, com a IMG, envolvida na realização do premiado Touching The Void, um documentário sobre a história real de dois alpinistas britânicos que se perderam nos Andes e sua luta para sobreviver.Mitchell afirmou, no entanto, que os pais de Madeleine não estiveram presentes na reunião.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.