Pai de menina presa diz que foi ameaçado por polícia

Segundo Prestes, policiais disseram que ele seria preso, caso não afirmasse que garota tem 19 anos; ela tem 15

CARLOS MENDES, Agencia Estado

22 de novembro de 2007 | 20h40

O agricultor Aloisio da Silva Prestes, pai da jovem que ficou mais de três semanas presa na delegacia de Abaetetuba com vinte homens, acusou nesta quinta-feira, 22, a polícia do município paraense de ameaçá-lo com cadeia se ele não arrumasse uma certidão provando que a jovem, de 15 anos, era maior de idade. "A menina tem 15 anos e só existe uma certidão, que prova isso. Eu não poderia arrumar o que não existe só para limpar a barra dos policiais", disse Prestes. Ele prestou depoimento nesta quinta-feira na Corregedoria da Polícia Civil junto com a ex-mulher, Joisecléa Félix Alves. Ela confirmou as declarações de Prestes e acrescentou que sua filha foi estuprada e obrigada a fazer sexo com os presos em troca de comida. O depoimento foi assistido pela coordenadora do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca), Celina Hamoy. No final dos depoimentos, Hamoy pediu que a dupla seja incluída no Programa de Proteção a Vítimas e Testemunhas (Provita) e retirada imediatamente da região. Com medo de represálias e se declarando "muito preocupado com sua vida", o lavrador disse que espera "apenas Justiça", defendendo a punição dos policiais e de quem permitiu que a menor sofresse violência física e sexual na cadeia do município.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.