Pais de Madeleine voltam para a Grã-Bretanha

Segundo porta-voz, casal teve consentimento da polícia portuguesa.

BBC Brasil, BBC

09 de setembro de 2007 | 09h32

Os pais da menina britânica Madeleine McCann voltaram para a Grã-Bretanha neste domingo e insistiram não ter tido participação nenhuma no desaparecimento da filha, em maio.Katherine e Gerry McCann foram declarados formalmente suspeitos no caso pela polícia portuguesa na sexta-feira e no sábado respectivamente.Falando ao chegar à Grã-Bretanha, Gerry McCann disse que o casal decidiu voltar ao país por causa dos filhos gêmeos e pediu para que a privacidade da família seja respeitada."Nós queremos que os gêmeos, na medida do possível, vivam uma vida comum em seu país, e nós queremos refletir sobre os desdobramentos dos últimos dias, que têm sido tão perturbante", disse McCann, mostrando emoção ao ler o comunicado que havia preparado."Apesar de haver muito o que gostaríamos de dizer, nós não conseguimos, exceto isso: nós não tivemos participação alguma no desaparecimento da nossa filha querida, Madeleine".Madeleine, de 4 anos, sumiu do apartamento onde a família estava hospedada na Praia da Luz no dia 3 de maio.Em Portugal, uma porta-voz da família, Justine McGuinness, disse que o casal havia recebido o consentimento da polícia portuguesa para voltar para a Grã-Bretanha. Katherine e Gerry McCann foram declarados suspeitos de envolvimento no desaparecimento da filha depois de serem interrogados por várias horas.Em entrevista ao jornal britânico Sunday Mirror, Katherine McCann disse que, durante o interrogatório, a polícia portuguesa a pressionou para confessar ter matado a filha acidentalmente.Ela disse que a polícia "quer que (ela) minta - eu estou sendo ''enquadrada''".Falando na sexta-feira, antes de ser declarada suspeita, Katherine disse ainda que "a polícia não quer um assassinato em Portugal e toda a publicidade sobre o fato de que o país não tem nenhuma lei contra pedofilia, então eles estão nos culpando".Gerry McCann disse a outro jornal - News of the World - que os policiais portugueses estão procurando por um fim rápido para o caso e estão explorando aparentes discrepâncias na explicação dada pelo casal sobre o que aconteceu no dia do desaparecimento."Em um sistema que você não conhece e não confia, isso é incrivelmente assustador", afirmou o pai de Madeleine na entrevista.Gerry McCann disse que ele e a mulher pensavam estar vivendo o "pior pesadelo de suas vidas, mas agora tudo continua ficando ainda pior".Devido a restrições impostas pela lei portuguesa, a polícia não pode responder às alegações feitas pela família.A ministra do Interior britânica, Jacqui Smith, disse estar satisfeita com a maneira como a polícia portuguesa está conduzindo a investigação.A polícia está agora aguardando o resultado de análises de amostras de sangue coletadas do apartamento na Praia da Luz.Se novas questões vierem à tona, a polícia poderá pedir o retorno do casal a Portugal e, como suspeitos, os dois terão de obedecer.De acordo com as leis portuguesas, eles poderão permanecer como suspeitos de oito a dez meses. Robert Murat, outro suspeito no caso, permanece como tal por quase quatro meses.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
madeleine maccaan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.