País enfrentará crise defendendo mercado interno--Dilma

A presidente Dilma Rousseff voltou a afirmar nesta quinta-feira que o Brasil não enfrentará a crise econômica global com recessão, e que a defesa do mercado interno será uma das armas para amenizar os efeitos das turbulências no país.

REUTERS

11 de agosto de 2011 | 13h27

"Nós não vamos enfrentar a crise com recessão... Nós vamos enfrentar a crise gerando emprego e assegurando renda e defendendo o mercado interno", disse a presidente durante inauguração de terminal do Porto de Pecém (CE).

A fala de Dilma foi semelhante à adotada na véspera, quando garantiu que o governo não adotará posicionamento "recessivo" diante da atual crise mundial.

A presidente reiterou que o Brasil tem melhores condições atualmente de enfrentar as turbulências do que durante a crise financeira de 2008.

Em seus mais recentes discursos, Dilma tem destacado as reservas internacionais brasileiras e os depósitos compulsórios dos bancos como armas que o governo tem para amenizar os efeitos da crise no país.

Nos últimos dias, Dilma e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, têm repetidamente afirmado atenção com a crise, e que o país está preparado para enfrentá-la.

Mais cedo, em entrevista a rádios do Ceará, a presidente afirmou estar "preocupada e atenta" com as turbulências.

(Por Hugo Bachega)

Tudo o que sabemos sobre:
POLITICADILMAMERCADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.