País pode não atingir meta para redução de malária

O Brasil corre o risco de não atingir as metas estipuladas pela ONU para a redução da incidência da malária até 2015, mesmo tendo destinado já quase R$ 2 bilhões para o combate à doença em uma década. Os dados fazem parte do relatório anual da Organização Mundial da Saúde (OMS).

JAMIL CHADE, CORRESPONDENTE, Agência Estado

18 Dezembro 2012 | 09h41

Pelas metas, países têm até 2015 para reduzir em 75% a incidência da malária, em comparação aos números de 2000. Na América Latina, 13 países já atingiram essa meta em 2011.

A previsão da OMS para o Brasil é de que a doença seja reduzida entre 50% e 75% nos próximos três anos, com o risco de que fique abaixo da meta. Apenas três países na América Latina - Venezuela, Guiana e República Dominicana - tiveram resultados piores que o Brasil.

Entre 2007 e 2011, a incidência de casos suspeitos e o número de mortos caíram no País. Mas, no continente americano, o Brasil ainda é a nação com o maior número de pacientes que morreram. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Mais conteúdo sobre:
malária meta ONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.