País tem 1,9 mil leitos de UTI para casos de gripe suína

São 68 hospitais de referência, 1.978 leitos de UTI, R$ 126 milhões liberados emergencialmente pelo governo federal, 1 milhão de tratamentos antivirais e a dúvida se os números são suficientes para fazer frente ao avanço dos casos de gripe suína no País. Até ontem, 33 pessoas tinham morrido em decorrência da doença.

AE, Agencia Estado

26 Julho 2009 | 09h13

O Plano Brasileiro de Preparação para uma Pandemia de Influenza é a estratégia do governo para absorver o impacto dos casos de gripe suína. Elaborado há três anos pelo Ministério da Saúde para a epidemia de gripe aviária - que não chegou a acontecer -, este pode ser o primeiro grande teste da estratégia.

Especialistas dizem que o plano para atendimento desses casos está dentro do esperado. ?A gripe não é uma doença grave de base, mas, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou a pandemia, houve o temor e a sobrecarga dos serviços de saúde?, destaca o infectologista e diretor da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FM-USP), Marcos Boulos. Desde que a indicação de atendimento dos casos suspeitos deixou de ser restrita aos 68 hospitais de referência, o sistema passou a contar com os 368 mil leitos hospitalares das redes pública e privada do País. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
gripe H1N1 UTI plano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.