País vê alta de mais de 20% nas safras de soja e milho até 2021

A produção brasileira de soja e milho está prevista para aumentar em cerca de um quarto em uma década, disse o governo em projeção de longo prazo divulgada nesta terça-feira.

REUTERS

14 Junho 2011 | 17h27

A previsão econométrica, atualizada anualmente, é baseada nos aumentos históricos e consultas com setores agrícolas individuais do maior produtor mundial de café, açúcar, suco de laranja e carne.

O coordenador de planejamento estratégico do Ministério da Agricultura, José Garcia Gasques, responsável pela projeção, disse que a perspectiva de continuidade dos altos preços para commodities agrícolas ajudaria a estimular a produção para chegar a esse incremento.

O plantio de algodão saltou no último ano após os preços quase dobrarem e a safra deve continuar se expandindo rapidamente, de acordo com a estimativa.

O ministro da Agricultura Wagner Rossi disse que as safras com grandes mercados de exportação se expandiriam mais nas próximas décadas, enquanto a demanda por alguns produtos vem se estagnando, como arroz e feijão.

Rossi disse que vê os números da nova previsão como conservadores, de modo geral.

A recém-terminada colheita do café 2010/11 rendeu 54 milhões de sacas, bem acima das 48,1 milhões de sacas da estimativa oficial. Gasques disse que traders de café, que contribuíram com os dados, consideram os números oficiais como muito baixos.

Abaixo está uma tabela com as estimativas de produção em milhões de toneladas --exceto o café, que está em milhões de sacas de 60 kg. Os produtos estão colocados de acordo com o aumento da previsão.

(Reportagem por Peter Murphy)

Mais conteúdo sobre:
COMMODSGRAOSBRASIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.