Palestinos tentam manter aberta a fronteira com o Egito

Forças egípcias querem impedir a entrada de palestinos no país.

Da BBC Brasil, BBC

25 de janeiro de 2008 | 12h50

Milhares de palestinos na cidade de Rafah estão tentando evitar que a fronteira da faixa de Gaza com o Egito volte a ser fechada nesta sexta-feira.Alguns chegaram a usar uma escavadeira para tentar abrir um novo buraco no muro erguido na fronteira, depois que forças de segurança egípcias tentaram bloquear os vários pontos de passagem abertos ilegalmente no local para impedir a entrada de palestinos vindos da Faixa de Gaza. As forças egípcias chegaram a fechar a maior parte da barreira, que teve vários buracos abertos ao longo dos seus cerca de 12 quilometros de extensão.O Egito disse que pretende impedir completamente a entrada e palestinos em seu território ainda nesta sexta-feira.Forças de segurança usaram canhões de água e deram disparos de advertência para o alto contra os palestinos. Pequenos conflitos aconteceram em diversos pontos. O Hamas, partido que controla a Faixa de Gaza, disse que apoia a decisão egípcia de fechar a fronteira. Homens armados do grupo deram disparos para o alto para tentar conter a multidão.ArmasA ONU calcula que metade dos cerca de 1,5 milhão de palestinos residentes da Faixa de Gaza cruzou a fronteira desde que militantes demoliram parcialmente o muro na manhã de quarta-feira.Um correspondente da BBC em Rafah diz que o fluxo foi tão grande que, nos últimos três dias, a cidade, que é dividida pela fronteira, parecia ter sido anexada pelos palestinos. O centro de Rafah, segundo o correspondente, se transformou em um mercado a céu aberto. A grande maioria foi ao Egito comprar comida e produtos que ficaram escassos na Faixa de Gaza desde que Israel resolveu bloquear sua fronteira com o território, para pressionar militantes palestinos a cessarem o lançamento de foguetes contra cidades israelenses.Israel pediu para que o Egito controle a fronteira, dizendo temer que militantes poderiam aproveitar a situação para contrabandear armas para Gaza.Na noite de quinta-feira, a secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, disse entender que o Egito passava por uma situação "difícil", mas afirmou se tratar de "uma fronteira internacional, que precisa ser protegida" e que "os egípcios compreendem a importância disso".Logo depois o ministro das Relações Exteriores do Egito, Hossam Zaki, prometeu que a situação na fronteira "será normalizada"."A situação atual é apenas uma exceção temporária", disse ele.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.